Dicas para introduzir os primeiros alimentos na rotina do bebê

Dicas para introduzir os primeiros alimentos na rotina do bebê

Dicas para introduzir os primeiros alimentos na rotina do bebê

Uma das grandes preocupações dos pais é a construção dos hábitos alimentares do filho. Desde bebês, somos expostos a diferentes sabores e texturas de alimentos, e é nessa fase que o paladar vai ser desenvolvido. Por isso, introduzir frutas, legumes e verduras na dieta do bebê é muito importante. No entanto, é importante que esses alimentos sejam oferecidos da forma mais natural possível.

Adicionar açúcar na fruta ou sal e outros temperos como salsinha, manjericão e hortelã em excesso na papinha pode ser uma grande tentação para as mães, que querem oferecer o que há de melhor para seus pequenos. No entanto, segundo Daniela Medrano, nutricionista do Evolve Berçário e Colégio Infantil, esse é um grande erro, uma vez que a percepção dos sabores que os adultos têm é diferente da apresentada pelos bebês – e pode acabar por criar maus hábitos, afastando-os dos legumes e verduras futuramente.

“Quanto menos interferimos no sabor natural dos alimentos, melhor será a aceitação dos sabores frescos de legumes e verduras”, diz a especialista. “É necessário que o bebê consiga desenvolver, aprimorar e se habituar aos sabores azedos, amargos e levemente adocicados presentes nas frutas”, diz a especialista.

Para que essa habituação ocorra, os pais devem oferecer uma grande variedade de frutas. Assim, o bebê poderá conhecer e, o mais importante, aceitar diferentes sabores e texturas, o que contribuirá para que ele se torne, futuramente, um adulto mais saudável e com uma dieta mais balanceada.

Alimentos saudáveis que não são recomendados

Mas nem todo alimento considerado saudável deve fazer parte da dieta do bebê. O suco, por exemplo, é um deles. Na preparação do suco, muitas fibras são perdidas e o açúcar é mais facilmente absorvido pelo organismo – o que pode favorecer, futuramente, o desenvolvimento de doenças como o diabetes e a obesidade.

“Além disso, sucos são preparações onde as frutas perdem sua textura, e a percepção de textura é considerada um fator essencial para o desenvolvimento do paladar”, ressalta Daniela.

A lista dos alimentos que não devem fazer parte da dieta dos bebês, principalmente durante o primeiro ano de vida – quando o sistema imunológico e gastrointestinal ainda está em desenvolvimento -, ainda inclui aqueles que são muito ricos em açúcar. São exemplos as formas prontas de leite fermentado e o petit suisse, que também apresenta em sua composição corantes e proteínas do leite, que podem causar alergias.

Outros alimentos que devem ser evitados são aqueles que apresentam grande potencial alergênico. São alguns deles: morango e kiwi (que devem ser oferecidos depois dos 8 ou 9 meses), leite de vaca, frutos do mar, oleaginosas (como amendoim e nozes) e os cítricos. O mel, que oferece o risco de botulismo, alergias e ainda mascara o sabor do alimento, também deve ser oferecido só depois do primeiro ano.

Criando bons hábitos

Veja abaixo mais três dicas que podem ajudar na hora de tornar a alimentação do seu bebê mais saudável:

DICA 1 – A construção do paladar

“É importante ressaltar que a formação do paladar se inicia durante a gestação, quando moléculas de sabor da alimentação da mamãe são transmitidas ao bebê pela placenta”, diz Daniela Medrano. Esse processo é reforçado durante a amamentação.

Por esses motivos, a construção do paladar deve começar ainda durante a gravidez. Se você se alimentar bem, facilitará muito na hora de introduzir os alimentos saudáveis na alimentação do bebê.

DICA 2 – Despertando a curiosidade

“Bebês aprendem observando”, ressalta a nutricionista do Evolve. Assim, a rotina alimentar da família deve ser saudável. Ao ver os pais consumindo frutas, o interesse do bebê será despertado. “Uma outra dica é levar seu bebê a feiras ou mercados onde há somente hortifruti disponível para a venda”, sugere Daniela. Isso porque os bebês ficam encantados com as cores e a variedade de frutas desses locais.

DICA 3 – Persistência

Se você ofereceu uma fruta e o bebê rejeitou, não desista logo de cara. “Assim como outros alimentos saudáveis, cada uma das frutas que seu bebê irá conhecer deve ser oferecida pelo menos de 10 a 15 vezes (em dias diferentes) antes de considerar que seu filho não gostou da fruta”, ensina Daniela.

Lembre-se sempre que a recusa faz parte do processo e pode ser provocada por fatores externos. Por isso, é fundamental persistir. O cuidado de não oferecer a mesma fruta por vários dias consecutivos se deve ao fato de que isso pode deixar o bebê sensível ao alimento. Assim, a dica é alternar.

Chris Flores
bebenutricaoevolve

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário

Rua Clementine Brenne, 385 | Morumbi – São Paulo / SP – CEP:05659-000 | contato@colegioevolve.com.br
Telefones: (11) 3502-7100 – (11) 99990-5440