Desenvolvimento da Fala

Desenvolvimento da Fala

Pesquisas realizadas pelas universidades de Washington e de Connecticut, nos Estados Unidos, apontam que conversar com seu filho de forma infantilizada pode ajudar no desenvolvimento da fala e aumentar o vocabulário da criança.
É comum quando o bebê nasce, o tom das conversas pela casa mudar: as vozes ficam mais agudas, as sílabas se alongam, as vogais se arrastam e cheios de bicos e caretas são os diálogos com o bebê.

No entanto, é preciso estar atento ao uso da fala infantilizada, a mesma não deve conter erros.
Muitos pais veem graça quando a criança pronuncia as palavras de maneira errada e começam a repeti-las quando conversam com a criança, mas isso só reforça o erro e retarda o aprendizado.
Importante frisar que devemos sempre pronunciar a palavra corretamente e não incentivar erros de pronuncias.
Ao adotar esse estímulo é necessário estar atento à hora de parar, pois o bebê cresce e começa a falar e esse estímulo pode ter efeito contrário, atrapalhando o desenvolvimento oral e a memória auditiva, assim, quando a criança já anda e tem contato com outras pessoas, não precisa mais desse apoio linguístico.
Não basta falar, falar e falar com a criança, o mais importante é trabalhar a interação e o envolvimento com a linguagem, é preciso engajar a criança na conversa e fazer com que ela balbucie em resposta, quanto mais isso acontecer, melhor será o desenvolvimento da fala.
Portanto, é aconselhável aos pais que falem normalmente, acompanhando assim, a evolução e o crescimento dos filhos.

É de grande importância também, que os pais e professores mantenham o contato visual durante os diálogos, pois nessa fase o que chama a atenção das crianças são: a linguagem corporal, a expressão fácil e o tom da voz.

Lembramos também, que a comunicação gestual não pode ocupar o lugar da fala. Muitas vezes as crianças descobrem que ao apontar para um objeto, os adultos tentam adivinhar o que ela deseja e o entrega. É fundamental que estimulem a criança a falar o que deseja, se ainda assim ela não falar, a dica é que ao entregar o brinquedo fale o nome dele.
Outro aspecto a observar é a alimentação, pois através dela os músculos faciais são fortalecidos e isso terá um impacto direto na aquisição da fala. Por isso, os alimentos mais consistentes, de diferentes tipos, podem desenvolver a mastigação, e por consequência, as articulações e músculos do rosto.

Além dos estímulos que falamos até a agora, o desenvolvimento da fala também é influenciado pelas características das crianças. O desenvolvimento completo da linguagem demora de quatro a cinco anos para ser concluído.

A criança de 3 anos pode trocar o “r” pelo “l” ou o “p” pelo “b”, por exemplo, dando à sua fala um tom infantilizado. Os pais não devem reforçar essa linguagem, pois o filho dessa idade tem condições de aprender a se expressar corretamente.
Atenção à uma possível regressão na linguagem, essa pode vir devido a mudança de rotina, nascimento de um irmão ou a entrada na escola.
Nessas situações, evitem correções agressivas ou broncas, basta repetir corretamente as palavras ditas.

Lisley de Rezende Amado
Coordenadora Pedagógica do Evolve

Story time

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário

Rua Clementine Brenne, 385 | Morumbi – São Paulo / SP – CEP:05659-000 | contato@colegioevolve.com.br
Telefones: (11) 3502-7100 – (11) 99990-5440